RO - Terça - Feira, 12 de Dezembro de 2017
Atualizada: 26/11/2017 19:49:12

Coluna Porta Aberta, por Fernando Garcia

Coluna Porta Aberta, por Fernando Garcia

LENTIDÃO

O tão badalado e comentado Natal de Luz, pelo visto, continua com falta de mobilidade por parte dos organizadores, uma vez, que estamos há 30  dias da maior festa universal. Se os trabalhos de decoração  não ganhar mais impetuosidade, provavelmente só terá algumas lâmpadas acesas e pequenos adereços na praça do piscinão frente à igreja matriz. Provavelmente não fizeram as parcerias corretas para agilizar os festejos, tão propagado, todavia a passos de tartarugas, no próximo ano, que equipe responsável por essa tarefa demonstre mais vontade e interesse de agir.

 

ESQUECERAM

Anos atrás também víamos muito interesse pela festa natalina, inclusive um monte de órgãos públicos e privados, divulgando e pedindo ajudas para compor as cestas básicas e brinquedos para crianças carentes. De repente, o que se observa hoje é um silêncio quase que total no quesito arrecadação para festejos natalinos, onde muitas famílias eram contempladas com cestas básicas, com diversos tipos de alimentos e brinquedos gerais. No passado próximo, algumas instituições bancárias até faziam essas campanhas, que por sinal, era  bastante significante para as camadas carentes, hoje, que a situação piorou para a camada carente, é que tá precisando da verdadeira ajuda.

 

SATISFATÓRIO

O município de Rolim de Moura, alcançou a marca de quase 37 mil eleitores conforme o recadastramento biométrico, realizado no período de quase dois meses. O resultado foi considerado excelente por fontes do tribunal, que ainda na metade dos trabalhos realizados em Rolim de Moura, temia por resultados pífios, mas ao longo dos trabalhos de recadastramento a população compareceu de forma satisfatória, agradando também a classe política, que ultimamente tem sido uma péssima referência para os eleitores.

 

TÁ NA HORA

Com duas pistas de caminhadas na cidade de Rolim de Moura, uma mais ou menos e a outra a desejar, a administração local poderia ao menos se interessar e fazer a diferença nos dois  locais. Na pista de caminhada no centro da cidade, poderia ter profissionais como educador do corpo e um técnico em enfermagem para averiguar a pressão dos frequentadores, que por sinal são dezenas de pessoas diariamente na parte da tarde até às 7hs da noite.

 

FALTANDO

A pista de caminhada da Cidade Alta, há muito tempo precisa de melhorias para atender aos amantes da boa caminhada, colocando uma pequena construção com banheiros para atender aos frequentadores do local. Construída há mais de dez anos sem um projeto alvissareiro, a pista possui menos de dois metros de largura, o que incomoda bastante as pessoas que praticam caminhada todos os dias e, nessa época do ano a coisa piora com as águas que acumulam na pista, impedindo mais ainda a prática esportiva.

 

FÁCIL

No Ministério das Cidades, está lotado de recursos para serem alocados nessas áreas das cidades em todo Brasil, mas a falta de interesse de nossa classe política é muito grande e, só pensam mesmo em mirar em projetos de emendas mais avantajadas, esquecendo as pequenas coisas que complementam a vontade do povo. Os vereadores poderiam pensar nessas reivindicações para o município, uma vez que os parlamentares só querem abocanhar emendas de altas licitações.

 

CORRER ATRÁS

Através de pequenos projetos consegue adquiri uma variedade de instrumentos para academias ao Ar livre. Tem um rapaz daqui de Rolim de Moura, que mora em Brasília, e conhece todos os meandros de como se consegue obter pequenas coisas como quadra esportiva de areia e de cimento, academias completas para serem instaladas em praças públicas, lavanderias comunitárias, poços artesianos, chafariz, enfim uma gama de coisas que realmente poderia vir ao anseio da comunidade. Tudo isso aí, são recursos na ordem de 80 mil Reais para baixo, que estão sobrando na capital federal e que vereadores poderiam se informar mais sobre isso, uma vez que os grandalhões  não dão atenção para essas pequenas coisas.

 

SUSPENSE

A empresa que está fazendo os trabalhos para implantação dos semáforos em Rolim de Moura, está deixando a coletividade um pouco com receio sobre a edificação das sinaleiras. É que já se passaram mais de quinze dias que fizeram os serviços da base de concretagem, mas, o essencial que é a instalação dos semáforos nada. Como em Rolim de Moura, muitas obras estão inacabadas há vários anos, a população teme que as sinaleiras também possam ganhar o mesmo destino.

 

ESTENDER

A prefeitura fez um excelente trabalho de podas de árvores, nas duas principais avenidas da cidade, Norte Sul e 25 de Agosto, mas Rolim de Moura, não pode ficar restrita somente nessas duas artérias do município. É preciso que a Secretaria Municipal de Obras Públicas, através do secretário Marcelino Lima, olhe com mais cuidado outras ruas e avenidas da cidade, que também estão enfileiradas de árvores arranha-céu, precisando urgentemente de serem podadas.

 

JOGO

O jogo de empurra, empurra não é fácil na vida política, sempre recaindo nos ombros dos contribuintes. Setores ligados da administração municipal, garantem categoricamente que possuem material de emulsão asfáltica na Usina de Asfalto, embora no momento o Governo não dispõe do material para fazer a entrega. Do outro lado o que se fala é que não procede a desculpas, feita por parte de integrantes da administração do município. Enquanto os dois lados se engalfinham, pequenos buracos começam se agigantarem em locais centrais da cidade.

 

PRECIPITAÇÃO

Realmente não caiu muito bem, a votação pela Câmara de Vereadores  do penduricalho inserido no subsídio, onde acrescentava alguns benefícios. Num momento difícil em que passa o município, deveras, caiu como uma bomba e repercutiu de forma  negativa no âmbito geral, causando reação imediata da população pela medida precipitada pelos vereadores. Mais uma vez as redes sociais, foram preponderantes  para que a Casa de Leis, voltasse sua decisão.

 

FINAL FELIZ

Mesmo sendo criado o complemento de forma legal, com certeza não foi o momento certo para buscar estas vantagens, uma vez que o município não consegue saldar seus compromissos, com os funcionários dentro do calendário. Apesar da falha clamorosa, há de se convir também, o reconhecimento por parte dos vereadores que sentiram que pisaram no tomate, e deletou a famigerada Lei, que concedia benefícios próprios.