RO - Segunda - Feira, 21 de Maio de 2018
Atualizada: 04/01/2018 01:24:12

Deputados querem CPI para apurar denúncia de ponte sobre o rio Machado

A denúncia é do deputado estadual Hermínio Coelho.

Na próxima semana as atividades normais na Assembleia Legislativa (ALE) que estão paralisadas desde o último dia 23, devido ao recesso parlamentar serão retomadas. Um dos assuntos que deverá ganhar mais espaço nos corredores da Casa de Leis, inclusive com formação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) é a denúncia do deputado estadual Hermínio Coelho (PDT-PVH), sobre o realinhamento de preço da ponte sobre o rio Machado em Ji-Paraná, que ocorreu antes do recesso parlamentar.

 

Segundo o deputado Hermínio, o governo do Estado acatou o realinhamento da obra construída no governo anterior, no valor de R$ 30 milhões. A ponte teria custo de R$ 22 milhões, que foram liquidados, na época, e a ponte concluída e entregue. A denúncia de Hermínio é que o realinhamento de preço foi solicitado pela empreiteira, no governo anterior (Cassol), mas a Procuradoria Geral do Estado (PGE) negou e agora ele foi pago pelo governo Confúcio Moura (PMDB).

 

O realinhamento, de acordo com as informações repassadas a ele, foi novamente solicitado no governo João Cahulla, que era vice e assumiu o cargo com a renúncia de Cassol, que foi candidato e se elegeu senador. Na época o Tribunal de Contas do Estado também negou o realinhamento. Hermínio afirmou que recebeu denúncia, que recentemente o Governo do Estado teria concedido o realinhamento de R$ 30 milhões à empreiteira e pago.

 

Hermínio está revoltado com a situação e disse que entregaria as informações à Polícia Federal, para as devidas providências. “Se isso for verdade, se as denúncias de confirmarem, não estamos falando de corrupção, isso é um assalto e quem fez tem que ir para a cadeia”, disse o deputado.

 

A movimentação nos bastidores da ALE é para a formação de uma CPI para apurar as denúncias. O argumento é que não há justificativas para se pagar uma obra concluída, quitada e entregue há mais de 10 anos no valor de R$ 22 milhões mais um realinhamento de R$ 30 milhões.

 

Para se criar uma CPI na Assembleia Legislativa são necessárias assinaturas de no mínimo oito dos vinte e quatro deputados. A fonte garante que já existem pelo menos seis nomes e com a volta dos trabalhos legislativos não faltarão parlamentares para se criar a CPI.