RO - Terça - Feira, 12 de Dezembro de 2017
Atualizada: 15/11/2017 00:30:19

Irmãs queimadas pelo padrasto em Rolim de Moura não sabem que mãe foi morta

Segundo médico ainda há risco de infecção por causa das queimaduras.

As duas irmãs que foram queimadas nuas ainda não sabem que a mãe foi morta pelo padrasto delas, no fim de outubro. Desde o crime, as duas meninas, de 5 e 7 anos, seguem internadas em Porto Velho por estarem com mais de 30% dos corpos queimados, inclusive com queimaduras de 4° grau.

 

De acordo com pediatra do Hospital Infantil Comes e Damião, Reginaldo Lourenço, o estado de saúde delas é estável e a mais velha já foi retirada da Unidade de Terapia Intensival (UTI) e agora está ao lado da irmã. Elas são acompanhas pela tia. “Nós tivemos uma melhora no estado geral das meninas, nas últimas 72 horas. Conseguimos transferir a mais velha para o salão de leitos comuns. Isso denota que ela teve uma melhora e não tem a necessidade de mantê-la isolada.”, explicou.

 

O médico afirmou ainda que as menores já se encontraram, após a saída da mais velha da UTI de isolamento.  “Nós conseguimos propiciar o contato das duas e as colocamos uma do lado da outra. Elas já conversaram e se encontraram, estão estáveis e elas têm noção de tudo que aconteceu. No momento elas são acompanhadas por uma tia”, informou o médico.

 

O pediatra falou que as crianças ainda não sabem que a mãe delas foi morta pelo padrasto. “Essa parte da abordagem vai ser feita pelo setor de psicologia e de serviço social. Isso vai ser abordado no momento mais oportuno. A gente entende que nesse momento traria muito mais um desconforto”, disse o médico.

 

Sobre o tratamento, o médico informou que ainda há risco de infecção. “Nosso maior medo são com as infecções. As áreas de queimaduras estão sendo submetidas tanto no tratamento no centro cirúrgico quanto no de tratamento realizado na própria UTI. Nesses curativos são retirados os tecidos mortos. A gente faz esse cuidado para minimizar a possibilidade de infecção. Essa área está toda aberta então a existe a possibilidade que desenvolva a infecção”, finalizou o médico.