RO - Sábado, 21 de Abril de 2018
Atualizada: 04/01/2018 19:10:33

Menina incendiada pelo padrasto reclamou de dores antes de morrer

O corpo da menina foi sepultado em Rolim de Moura

Minutos antes de morrer, na quarta-feira (3), uma das irmãs queimadas nuas reclamou de fortes dores no estômago. O avô da menina de 5 anos, José Alves, contou como foram os últimos minutos de vida da neta em Porto Velho. “Ela disse: vô, está doendo muito minha barriga'. Eu respondi: 'vai passar minha filha'. Mas não passou e ela desmaiou e não acordou mais”, relembra.

 

 

A criança estava com queimaduras de 1º e 2º graus, após ter sido incendiada pelo padrasto junto com a irmã de 7 anos, em Rolim de Moura. Ela estava internada há dois meses em Porto Velho, junto com a irmã, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Cosme e Damião. Na última quarta-feira (3), a garota não resistiu aos ferimentos.

 

Após a morte da garota, o corpo da menina foi transferido da capital e chegou em Rolim de Moura nesta quinta-feira (4), onde foi sepultado no fim da tarde. Conforme o médico plantonista do hospital, a criança teve uma parada cardíaca e houve tentativa de reanimação durante 50 minutos. "Infelizmente não conseguimos trazê-la de volta. Já a irmã maior está estável, ainda expira cuidados, mas está estável. Estamos na luta para que ela possa voltar pra casa o quanto antes", declarou.

 

 

Antes de falecer, a criança, segundo o avô José Alves, se queixou de fortes dores no estômago. “A tarde ela recebeu o curativo nos ferimentos. No começo da noite, tomou o medicamento e ficou conversando. No entanto, por volta de 23h ela começou reclamar de uma dor na barriga, que na verdade era no estômago. A enfermeira o medicou e ela se acalmou, porém, por volta da meia-noite as dores voltaram bem mais fortes. Foi quando ela me disse: 'vô está doendo muito minha barriga' e ela desmaiou e não acordou mais”, conta emocionado.

 

Ainda de acordo com José Alves, o estado de saúde da irmã de 7 anos também inspira cuidados. “Ela estava até bem, mas nos últimos dias teve uma recaída e precisou ser reanimada. Agora não está falando e perdeu os movimentos das pernas e dos braços. Os médicos disseram que ela teve um derrame e estão fazendo exames para descobrir o motivo da doença”, revela.  

 

Conforme o avô, as netas já sabiam que a mãe tinha sido morta, porém, a sobrevivente não sabe ainda da morte da irmã.

 

“Quando souberam da morte da mãe ficaram bem abaladas, mas já estava reagindo. Agora sobre a morte da irmã, eu não contei para ela e pedi para não falarem para ela (irmã mais velha), devido ao estado de saúde dela, que é estável”, esclarece. Ainda, segundo José, a morte da criança deixou a família bastante abalada.

 

“Está todo mundo muito triste. Eu, para ser sincero, devido aos últimos acontecimentos já estava preparado para o pior. Assim como aconteceu com a mais nova, a gente torce e pede a Deus para que a sobrevivente se recupere, mas sabemos que a situação não é fácil, por isso precisamos ser forte, caso o pior venha acontecer”, revela.