RO - Sábado, 18 de Agosto de 2018
Atualizada: 25/01/2018 00:23:49

Prefeitura fecha escolas rurais e pais de alunos se revoltam em Cerejeiras

Prefeitura fecha escolas rurais e pais de alunos se revoltam em Cerejeiras

A prefeitura de Cerejeiras decidiu fechar neste ano as escolas Uni Campo e Américo Vespúcio, ambas localizadas na área rural do município. Por causa da decisão, pais de alunos se revoltaram e fizeram uma manifestação contra o fechamento das escolas, na semana passada. A Secretaria Municipal de Educação alega que fechou as unidades educacionais, pois não tem mais condições de manter as escolas com o baixo número de alunos.

 

No dia 15 de janeiro, o Ministério Público de Rondônia (MP-RO) realizou uma reunião com a prefeitura e os pais dos alunos. Na ocasião, a prefeitura precisou esclarecer os motivos do fechamento das duas escolas rurais.

 

A secretaria municipal de Educação, Zenilda Terezinha, disse que o fechamento das escolas é uma questão de gestão. Ela contou que o número de alunos vem caindo a cada ano. De acordo com ela, em 2017, a escola municipal Uni Campo atendeu cerca de 75 alunos, enquanto a Américo Vespúcio cerca de 73 estudantes.

 

“Um dos pontos para o fechamento é a demanda de alunos que vem caindo. Outro ponto é a condição do prédio das escolas. O tribunal de contas exige uma adequação para atender os alunos do ensino infantil e é um gasto muito alto. Para oferecer uma educação de qualidade e dar um suporte melhor aos alunos, vamos coloca-los nas escolas que ficam na cidade”, alegou Zenilda.

 

Segundo a secretaria de Educação, as vagas dos alunos foram reservadas nas escolas Moranguinho Feliz, onde vai receber os alunos do ensino infantil e Irmã Dulce que receberá alunos do ensino fundamental de 1º a 5º ano. Ainda segundo a secretária Zenilda Terezinha, os 12 ônibus que buscam os alunos do ensino médio irão receber monitores e farão também o transporte dos alunos das escolas fechadas.

 

Os pais dos alunos das escolas rurais, que são contra o fechamento, apontam que as crianças serão prejudicadas indo estudar na cidade. A agricultora e mãe de dois alunos da escola Uni Campo disse que o horário que o ônibus irá passar para pegar os alunos é muito cedo. A mãe afirmou ainda que do ponto de ônibus até a cidade, onde as crianças irão estudar, são cerca de 70 km.

 

“É muita dificuldade sair do campo e ir estudar na cidade. O ônibus passa no ponto às 6h e as crianças vão ter que acordar muito cedo. Tem crianças de 4 anos de idade e elas vão sofrer muito”, afirmou a mãe, preferindo não se identificar. Outra agricultora, mãe de um aluno de 10 anos, também da escola Uni Campo, disse que entende a situação da prefeitura, mesmo assim não concorda em fecharem as escolas.

 

“Não podem tirar as únicas escolas que existem no campo. Fechar uma escola é fechar uma história e mudar a realidade das pessoas sem seu consentimento”, declarou. Por causa do fechamento, os pais realizaram um abaixo-assinado com mais de 300 assinaturas e entregaram ao MP-RO e Ministério Público Federal (MPF). O promotor Marcos Paulo, do MP-RO de Cerejeiras, acompanha o caso.