RO - Terça - Feira, 12 de Dezembro de 2017
Atualizada: 18/10/2017 12:56:02

Presidente do TJD avalia fase juvenil em Porto Velho como a mais tranquila do JOER

O Joer segue até domingo (22), em Porto Velho.

Até o início das competições na tarde de terça-feira (17), o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), Arthur Paulo de Lima, considera a fase juvenil (15 a 17 anos) dos Jogos Escolares de Rondônia (Joer) a mais tranquila. Apenas dois casos simples foram registrados e deverão ser julgados ainda esta semana. O Joer segue até domingo (22) com disputas, provas e partidas em cinco modalidades coletivas e seis individuais, em Porto Velho.

 

“O TJD participou das dez etapas regionais e das três fases estaduais do Joer. Seguramente, esses jogos juvenis estão sendo os mais calmos em termos de irregularidade que reverta em punição”, afirmou o presidente, destacando que durante a etapa regional Vale do Guaporé, realizada em Costa Marques de 28 de julho a 2 de agosto, não houve sequer um registro de ocorrência.

 

O TJD recebeu até o momento o registro de apenas duas ocorrências. “A falta de um árbitro na estreia do futsal e o não uso de crachá por um aluno-atleta na recepção do hotel em que está hospedado”, antecipa o presidente, que ainda não tem definido o dia e o horário para o julgamento. No primeiro caso, o entendimento preliminar do presidente é que o resultado da partida não será afetado devido à falta do árbitro. Na segunda circunstância, cabe advertência.

 

O uso do crachá é obrigatório a todos os participantes do Joer.“O crachá deve estar visível e ser portado nas dependências do hotel, locais de competições, praça de alimentação e cerimônias de premiações”, alerta Arthur de Lima. Na fase infantil (12 a 14 anos), realizada em setembro em Ji-Paraná, as punições foram revertidas em cestas básicas, que foram doadas pela coordenação do Joer a instituição beneficente.

 

Instituído em 2015 pelo governo estadual e promulgado pelo Conselho Estadual de Desporto e Lazer (Condel/RO), o TJD tem o objetivo de dar maior transparência e credibilidade às competições promovidas pelo governo de Rondônia. O serviço está regulamentado pelo Código Rondoniense da Justiça e da Disciplina Desportiva (CRJDD).