RO - Terça - Feira, 12 de Dezembro de 2017
Atualizada: 22/08/2017 09:28:48

Punição de membro por falta de identificação é revertida em cesta básica no Jogos Escolares

Esta foi a primeira penalidade convertida em cesta básica desde que o Joer foi reformatado em 2012.

O Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) puniu um membro da delegação Metropolitana durante a etapa estadual infantil (12 a 14 anos) dos Jogos Escolares de Rondônia (Joer), que segue até sábado (26), em Ji-Paraná. Esta foi a primeira penalidade convertida em cesta básica desde que o Joer foi reformatado em 2012. A cesta básica será presenteada a uma instituição carente ainda indefinida pela coordenação geral do Joer.

 

A punição decorreu de uma “oficial” da delegação da capital por ter adentrado ao Centro de Convivência dos jogos sem portar o devido crachá, que é obrigatório a todos os participantes do Joer como uma das maneiras de identificação. O Centro de Convivência é uma área de descanso, lazer, entretenimento, praça de alimentação e local de premiações. Assessorar o chefe de delegação é uma das funções do “oficial”.

 

“O crachá é um dos instrumentos de identificação importante. Infelizmente nossa oficial esqueceu o dela no hotel. A punição do TJD foi razoável”, considerou a chefe da delegação Metropolitana, professora Maria Lúcia Tenório da Silva, acrescentando que fez questão de incrementar a cesta com mais produtos fugindo do padrão tradicional das cestas básicas vendidas no comércio local. “Ampliei o número de alimentos no intuito de beneficiar quem será contemplado”, detalhou a professora, no momento da entrega da cesta a um dos integrantes do TJD.

 

O TJD foi instituído em 2015 pelo governo estadual e promulgado pelo Conselho Estadual de Desporto e Lazer (Condel/RO) com o objetivo de dar maior transparência e credibilidade às competições promovidas pelo governo de Rondônia. O serviço está regulamentado pelo Código Rondoniense da Justiça e da Disciplina Desportiva (CRJDD).

 

Nesta etapa estadual infantil do Joer o TJD aplicou outra punição similar a um professor. Nesse caso, o professor está impossibilitado de participar de qualquer competição esportiva realizada por qualquer órgão do governo de Rondônia pelo período de 30 dias.

 

“O posicionamento do TJD durante o Joer é digno de elogios, pois atua eficazmente em todas as etapas dos Jogos Escolares e toma as decisões com penalidades conforme fora instituído”, disse o professor Ítalo Aguiar, o gerente de Educação Física, Esporte e Cultura Escolar (Gefece), da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), pasta responsável pela organização dos Jogos Escolares.